Umbilical cord clamping: why to hurry?Corte precoce do Cordão Umbilical: para que a pressa?

By Mayra

First published at Gisele’s Blog

The immediate cut of the umbilical cord is a usual routine all over the world. As if something would happen if the baby was not immediately separated from his mother and from his source of oxygen, blood and nutrients. Or is it a rush to finish the work soon and move to the next one.

For centuries this practice has deepened roots in the occidental culture and is recognized by Michel Odent simply as an excuse to promptly separate the baby from his mother. However, the need for early cutting the umbilical cord is unsupported as was the belief the colostrum (the first milk) was harmful for the baby.

Results of scientific researches demonstrate the benefits of delayed cord clamping. It is easy to understand if we stop for a second and think from the baby’s point of view.

The umbilical cord connects the baby at the bellybutton to the placenta. The placenta is attached to the maternal uterus. During his entire life, the baby received oxygen and nutrients through the placenta. Surrounded by this water bag, the baby is protected, heated and comfortably tight.

Birth is a very important transition for both the mother and the baby. The baby passes throughout the birth canal, which removes the excess of lung fluids and is important for the baby’s immunological system. Once the baby is born, his lungs expand and temperature changes, stimulating the baby to breath. But the umbilical cord is still attached to the baby just like has been for 9 months! And it is still pulsating and giving blood, oxygen and nutrients to the baby.

This way the baby continues to receive oxygen trough umbilical cord and has the chance to learn to breath without the abrupt cut of this source.

The cord can pulsate for several minutes,I know one cord that pulsate for 40 minutes! He stops pulsating naturally and changes from a cord that is thick and full of life to a thin and white. I have seen very healthy babies only crying very gentle, but soon stop … but in my practice with home birth we use to cut the cord after the placenta is born. Look at the picture of the umbilical cord over 15 minutes.

Umbilical cord

If the cut is done right after the baby is born, he has to cry or scream really strong, he must expand the lungs. Otherwise there will be no oxygen! Besides he has no longer lasting blood supply that he should been receiving naturally that stays at the placenta, useless.

The baby gains about 100 ml of blood through the umbilical cord by three minutes of life, which is a considerable amount for a baby. And this blood supply prevents anemia during the first year of life. There is enough evidence to make a change possible. One of the recommendations of the World Health Organization is the delay Cord clamping.

Among other mammals cutting the umbilical cord is normally cut the placenta is born or even hours after birth. If they cut before the pup would probably have bleeding through the umbilical cord, because they do not have clamp to clamp the umbilical cord. So nature shows that this practice is not natural … I do not know at what point in history decided to cut the umbilical cord once the baby is born is beneficial. Even neonatal tetanus could be mostly prevented if the umbilical cord was cut a few hours after birth.

The umbilical cord also has the perfect size for baby to go straight to his mother’s lap, without being cut. And that’s where the baby needs to be. From the outside where he was in his mother’s belly. For the mother is also a great to have her baby in her arms, exchanging smell and looks .É a critical time for the bond between mother and baby. Breastfeeding usually begins at this time. It is also comforting, because the baby was inside her belly, it does notgives that feeling of “emptiness.” It also stimulates the release of maternal oxytocin and the baby does a weight in the uterus while kicks with his little feet, preventing bleeding and stimulate the delivery of the placenta.

So why to rurry? It’s so simple, it does not requires more skills, equipment or investment. But it requires one thing: Professional patience. Just wait a few minutes, it brings so many benefits!

Nature is very wise.By Mayra

Texto publicado no Blog da Gisele

Cortar o cordão umbilical é uma prática comum nos hospitais ao redor do mundo. Como se alguma coisa fosse acontecer se o bebê não fosse separado imediatamente de sua mãe e de sua fonte de oxigênio, sangue e nutrientes. Ou é uma pressa do profissional de acabar logo e passar para o próximo?

É uma prática enraizada na nossa cultura por milênios, e é reconhecia por Michel Odent como sendo mais uma “desculpa” para a separação imediata entre mãe e bebê. Como no passado se acreditava que o colostro (o primeiro leite) era prejudicial para o bebê.

Muitos estudos científicos têm comprovado os benefícios do corte tardio do cordão umbilical. Mas se pararmos para observar o lado do bebê e até outros mamíferos, fica fácil de entender.

O cordão umbilical sai do umbigo do bebê e se liga na placenta. A placenta por sua vez, está ligada a parte interna do útero materno. Durante toda sua vida o bebê recebeu oxigênio, sangue e nutrientes filtrados pela placenta. Envolto pela bolsa d’água, ele estava protegido, aquecido e confortavelmente apertado.

O parto é uma transição muito importante tanto para a mãe quanto para o bebê. O bebê passa pelo canal vaginal, o que estimula a saída de líquido pelas vias aéreas e também é importante para imunidade do bebê. Quando ele sai seus pulmões se expandem e a temperatura muda, estimulando a respiração. Mas o cordão umbilical ainda está ligado no bebê como esteve durante 9 meses! E ainda continua pulsando, enviando oxigênio, sangue e nutrientes.

Dessa forma o bebê ainda recebe oxigênio do cordão umbilical e tem a chance de aprender a respirar sem um corte abrupto dessa fonte. O cordão pode pulsar por vários minutos, soube de um cordão que pulsou por 40 minutos ! Ele pára de pulsar naturalmente e passa de um cordão grosso e cheio de vida para fino e branco. Eu já vi bebês muito saudáveis só resmungarem, dar um chorinho, mas logo pararem… mas na minha prática com parto domiciliar só cortávamos o cordão depois de a placenta sair. Observe a foto do cordão umbilical ao longo de 15 minutos.

Umbilical cord

Se o corte é feito logo que o bebê sai, claro que ele vai dar aquele choro forte na hora, pois ele é obrigado a expandir os pulmões se não ele fica sem oxigênio! Além de também ficar sem o aporte sanguíneo que ele naturalmente deveria receber, que fica preso na placenta. Um desperdício! O bebê ganha cerca de 100 ml a mais de sangue pelo cordão umbilical até o 3o minuto de vida, o que é um volume considerável para um bebê. E esse aporte sanguíneo previne anemia no primeiro ano de vida. Há evidências suficientes para que aconteça a mudança na prática. Uma das recomendações da Organização Mundial de Saúde é o corte tardio do cordão umbilical.

Entre os outros mamíferos o corte do cordão umbilical é realizado depois da placenta ter nascido ou até mesmo horas após o parto. Pois se eles cortassem antes o filhotinho provavelmente teria uma hemorragia, pois eles não têm clamp para clampear o cordão umbilical e prevenir que saia sangue pelo coto umbilical. Então a natureza mostra que essa prática não é natural… não sei em que momento na história decidiram que cortar o cordão umbilical logo que o bebê nasce é benéfico. Mesmo o tétano neonatal poderia ser na sua grande maioria prevenido se o cordão umbilical fosse cortado algumas horas após o parto.

O cordão umbilical também tem o tamanho perfeito para o bebê ir direto para o colo da sua mãe, sem que seja cortado. E é ali que o bebê precisa estar. Do lado de fora de onde ele estava, na barriga da sua mãe. Para a mãe também é um presente ter seu tão esperado bebê em seus braços, trocar cheiro e olhares.É um momento fundamental para o vínculo entre mãe e bebê. A amamentação geralmente inicia nessa hora. É também confortante, pois o bebê estava dentro da sua barriga, então não dá aquela sensação de “vazio”. Também estimula a liberação de ocitocina materna e faz um peso no útero, evitando hemorragia e estimulando a saída da placenta.

Então, para que a pressa? A pressa é inimiga da perfeição! É tão simples, não requer mais habilidades, equipamentos ou investimento. Mas requer uma coisa: Paciência do profissional. Apenas esperar alguns minutos traz tantos benefícios!

A natureza é muito Sábia.

Você pode gostar...

9 Resultados

  1. Ricardo disse:

    No caso da coleta do sangue do cordão umbilical para a guarda de células tronco é importante que este processo seja rápido para que o máximo possível de células sejam coletadas, temos que analisar o custo beneficio deste ato, imaginando que se caso o bebê venha precisar destas células no futuro é muito importante que todo este material seja coletado, porem, para os que não farão a coleta, considero melhor que fique em seu organismo do que seja jogado fora, sem duvida nenhuma

    • Mayra disse:

      Oi Ricardo!
      A coleta de células tronco está se tornando bastante popular, mas tudo deve ser analisado com cautela. Esse sangue que está sendo coletado está deixando de ir para o bebê. E é um sangue que o bebê precisa naquele momento e traz comprovadamente muitos benefícios para sua saúde, como escrevi no post. Então muitas pessoas discordam com a coleta do cordão umbilical por ainda não ter estudos suficientes comprovando a real possibilidade de uso no futuro. Para que deixar guardado esse recurso precioso para depois se sabemos que ele com certeza precisa quando nasce? É mais um business muito lucrativo, business of being born..
      Eu te retorno sua frase – temos que analisar o custo benefício deste ato. É melhor prevenir que o bebê fique doente, garantindo que ele receba esse suporte sanguíneo precioso do que causar a doença por não recebê-lo.

  2. Pollyana disse:

    Maíra, e quando o Rh da mãe é negativo e do pai positivo. Podemos esperar o cordão parar de pulsar ou clampeamos no 3o minuto?

  3. Isadora disse:

    Quando esperamos parar de pulsar é necessário prender nos dois pontos para fazer o corte?

  4. Necotelcugen disse:

    Concordo plenamente… A OMS recomenda esperar pelo menos 3 minutos para cortar mas mesmo assim acho pouco porque o cordão umbilical continua a pulsar por mais alguns minutos em muitos casos e é um desperdicio privar o bebé de tantos nutrientes,sangue, etc… Li há pouco temo sobre o parto lotus mas fiquei na duvida se tem riscos e se há algum beneficio fisico em esperar o cordao desprender sozinho sem cortar… Ou se não faz diferença nenhuma cortar ou não cortar(esperando o tempo necessario para deixar de pulsar)? É que não deve dar muito jeito para segurar o bebe, dar banho…enfim, faz -me um bocado de confusao não cortar mas gostava de saber a sua opinião quanto ao assunto, se possivel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *